quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Democracia Radical


Olhando o cenário político-social brasileiro, vejo como bem interessantes alguns aspectos como as transformações que alguns ideais e objetivos políticos podem ganhar uma chamada "vida própria", independente de quem sejam os seus criadores ou os seus defensores originais e não são poucas essas idéias e objetivos...

Os exemplos são interessantes: Quem nos dias de hoje, obviamente sem os recursos das aulas de História e de cinema, poderia imaginar que Abraham Lincoln, um dos maiores símbolos da democracia norte americana e que foi responsável direto pelo fim da escravidão legal no EUA, pertencia ao Partido republicano, o mesmo de Ronald Reagan e da família Bush???

E mais ainda, que as progressistas leis trabalhistas, que até hoje servem de bandeira de luta da esquerda ocidental, têm em larga escala, origens no Fascismo Português e Italiano???É bem verdade que boa parte dos serviços promovidos pelo chamado Estado de Bem Estar Social possui como origem a Social Democracia européia do pós-guerra. Tais serviços como a universalização da saúde, a universidade pública e gratuita foram conseguidos através de muita luta depois da tragédia que foi a segunda grande guerra, sua origem.

Nesse caso, é bem interessante notar, que a sua origem, apesar de remontar à esquerda européia, se trata da esquerda moderada, da chamada Social democracia e não de conquistas ligadas diretamente aos ideários Marxistas/Leninistas tradicionais e mais esquerdistas, como alguns tentam colocar em seus discursos aqui no Brasil.Entretanto, outras bandeiras tradicionais nas esquerdas de boa parte da Europa, America e Brasil, possuem origem ou inspiração remota na Revolução Francesa e no Liberalismo Inglês. Afinal, os conceitos de igualdade e liberdade individual que são herdadas do Iluminismo, foram implementados primeiramente na França, Inglaterra e EUA.

Por exemplo, a atual luta pela descriminalização das Drogas e do Aborto, a luta por uma Reforma Tributária possuem, em última analise, como substrato, esses dois conceitos citados anteriormente: A Igualdade e a Liberdade.O engraçado é que, a esquerda tende a privilegiar o primeiro e a direita o segundo, porém, ambos são herdeiros de um mesmo processo histórico, a chamada grande revolução burguesa ou simplesmente: Revolução Francesa e não nas ditas revoluções socialistas ou comunistas, como as Revoluções: Russa, Chinesa ou Cubana!!!

Penso na importância de analisar esses fatos, para que depois não se acabe fazendo apologias equivocadas e buscando sustentações teóricas em teorias erradas. É importante que se levantem bandeiras de lutas, mas é importante mais ainda, saber qual a origem dessas lutas e quais ideais as sustentam.Parto para uma alternativa de construir uma proposta de Democracia de uma forma mais ampla e forte, diria eu, até mais radical, no sentido de buscar valorizar as liberdades individuais, tirar o protecionismo estatal da “ordem do dia” da sociedade brasileira, quanto menor o Estado, maior será a liberdade individual para buscar conquistar seus sonhos, atingir suas metas e não ser “metralhado” de impostos desnecessários, que apenas existam para sustentar uma burocracia gigantesca e ineficaz.Vejo essa ideia de “Democracia Radical” como uma alternativa viável de construção política, urge a necessidade de apresentar uma alternativa para que a sociedade possa sair desse imobilismo maniqueísta que permeia o cenário geo político do planeta e em particular em “terras brasilis”.

A raiz da democracia está na liberdade individual e na equidade e não na igualdade utópica que foi semeada durante os últimos 3 séculos pela esquerda internacional, não se trata de forma igual que tem a diferença como essência, como é o caso do ser humano, mas é necessário que essa ser humano se torne livre de qualquer amarra, de qualquer dependência, para poder trilhar seu caminho e torna-se líder em seu segmento (seja esse qual for o segmento escolhido), chega de “salvadores da pátria”, chega de políticas que ao invés de integrar, acabam segregando e acirrando ainda mais as contradições existentes, insisto, não se pode tratar igual aos desiguais.

A Democracia somente pode florescer em um ambiente livre, sem pré e pós conceitos, sem ingerência do “Grande Irmão” (O Estado), partindo dessa premissa, penso em uma radicalização democrática como alternativa de construção de uma sociedade bem mais consciente e justa, lembrando que, justiça nada tem haver com igualdade e sim com a liberdade que cada individuo deve ter, para traçar o seu caminho, chega de amarras.

Gramsci: da Arte à "Pedofilia" 5

Quero pedir escusas para os leitores pela demora em escrever a sequencia do ensaio que estou fazendo sobre a obra de Antonio Gramsci, mas a...