segunda-feira, 10 de março de 2014

Ameaça à liberdade de expressão...


O amigo José Carlos Sucupira denunciou em seu perfil no Facebook, hoje, que ainda vem sofrendo ameaças de morte por causa de uma reportagem que ele fez para o " Jornal do Brasil" sobre o polêmico "Caso Riocentro", ocorrido em 1981, onde uma bomba explodiu no carro de militares durante um show em comemoração ao Dia do Trabalhador. 

As investigações publicadas no jornal, por Sucupira, além de ajudar na elucidação do atentado terrorista cometido pelos militares com o intuito de responsabilizar os movimentos de resistência ao golpe , lhe renderam o Prêmio Esso de Jornalismo em 1988.

Sucupira esteve em  Brasília para depor no Ministério Público Federal sobre o caso.E vem falando nas Redes Sociais que ainda recebe ameaças de morte, em função de mexer em assuntos que dizem respeito a gente muito poderosa. O que preocupa o jornalista é a sua segurança aqui em Curitiba, ele cogita até a possibilidade de deixar a cidade. 
Um de seus tuites na noite de hoje foi:“Uma pena que nem eu nem qualquer cidadão se sinta seguro no Paraná, a questão não é pessoal, amo o Paraná mas não confio no Beto"
Em função disso, uma comissão formada por 12 deputados federais e dois senadores foi até a Polícia Federal para pedir proteção para Sucupira. A Federal não garantiu nenhuma proteção, a não ser que haja mais algum tipo de ameaça ou perigo. 
Ou seja...será necessário que algo aconteça a ele para que alguma providência seja tomada? Espero que não, pois não é admissível que em pleno século XXI, esse tipo de coisa ainda aconteça no Brasil e, principalmente aqui na nossa cidade. Sou um defensor ferrenho da liberdade de expressão e toda a minha solidariedade ao Sucupira!!!

domingo, 9 de março de 2014

A importância da terceira via...


A cada dia que passa torna-se visível a polarização nas eleições para o governo do Paraná, a disputa fica a cada dia mais acirrada entre o governador Beto Richa (PSDB) e a senadora Gleisi Hoffmann (PT), com trocas de farpas e com articulações que envolvem a utilização de blogueiros, articulistas e fakes. Essa disputa reflete aquilo que no âmbito nacional, também se desenha entre a presidente petista Dilma Rouseff e o senador tucano Aécio Neves.

Mas vamos nos ater a situação daqui da terrinha,  não vejo essa polarização como saudável para a democracia. A falta de opção para o eleitor é algo que não acrescenta nada de positivo para um processo democrático de qualidade, mesmo sabendo que teremos algumas candidaturas de pequenos partidos, alguns sectários demais outros apenas para conseguir algum tipo de visibilidade perante o eleitor paranaense. Nas articulações que envolvem esse processo todo, vejo o PMDB como o grande fiel da balança, o partido que pode contribuir de alguma forma, para que o disputa se torne mais legitima.

O partido no Paraná está em uma disputa interna visceral e explicita pelo controle da legenda, de um lado o ex-governador Orlando Pessutti e as bancadas estadual e federal, do outro, o senador Roberto Requião e alguns aliados. A tendência dos deputados do partido é uma aliança com o governador Beto Richa, já o senador Roberto Requião defende a candidatura própria da legenda.

Não sou do PMDB e também não tenho nenhum compromisso com qualquer um dos lados envolvidos na disputa para o governo do estado, por isso me sinto a vontade para defender a candidatura do senador Roberto Requião ao governo do Estado. sei que ele não é nenhum ator novo no processo, já possui um eleitorado mais do que consistente e um discurso que é bem conhecido dos paranaenses, mas o fato é que, a sua candidatura representaria um fato político importante nesse processo eleitoral que caminha para se tornar um referendo a atual governo e isso não é bom para a democracia.

Enquanto puder, defenderei a candidatura Requião, não quer dizer que ele seja,  já de cara,  a minha opção ao governo, mas a sua candidatura é de extrema importância para que o jogo democrático possa ser jogado de forma mais aberta e cara para o eleitor. O paranaense precisa de uma terceira via e essa via consistente, é a candidatura Requião.

Muito amigos meus talvez não compreendam essa minha posição, não estou fazendo isso como objeto de propaganda para o senador Requião, a minha preocupação é com a forma que está tomando esse processo para o governo do Estado. tanto Beto, quanto Gleisi, precisam de uma candidatura que possa questiona-los, que o debate possa ser ampliado. Onde as discussões não fiquem restritas aos "avanços" do governo Estadual ou Federal.

Requião acrescentaria um "tempero" a mais nesse processo, ele tem toda as características de um candidato que possa influenciar uma parcela importante da sociedade e isso tem que ser oferecido como opção ao eleitor paranaense. espero, sinceramente, que o senador Requião consiga sair candidato ao governo nesse ano, mesmo acreditando que essa possibilidade seja cada vez mais remota, gostaria muito de ver Requião na disputa.

Black Blocs....Revolucionários ou Baderneiros???


Muito se tem falado ultimamente sobre as ações dos chamados Black Blocs nas manifestações de rua que voltaram a ocorrer com mais frequência desde junho do ano passado. Pois bem, eu sempre acreditei que as manifestações populares precisariam de lideranças para que pudessem ter legitimidade e que, os protestos ocorridos durante o junho de 2013 não passavam de um amontoados de jovens da classe média que sem ter o que aspirar ou questionar, resolveram ir para as ruas extravasar as suas angústias.

Mas ao analisar melhor essas manifestações, começo a perceber que existe muito mais que simples jovens sem perspectivas, existe sim, uma juventude que compreendeu que não dá mais para ficar sentado na frente do vídeo game esperando que as coisas aconteçam. Esses jovens perceberam que era necessário que eles fossem para as ruas, exigir os seus direitos.

E é neste ponto que surge a grande indagação do título dessa postagem: Seriam os black blocs revolucionários ou baderneiros? Em primeiro lugar, não acho justo que se utilize uma nomenclatura para identificar os jovens que participam desse processo, eles são bem mais do que jovens de roupa preta, existe por trás disso uma forte corrente de pensamento ideológico, do qual, posso concordar ou não, é legitimo e deve ser levado a sério. Sei que em um ano eleitoral, tanto governo quanto oposição, tentarão usar as manifestações como objeto de campanha. Sinceramente, espero que não consigam, pois o que estes jovens estão buscando fazer é muito importante para o processo de participação política da sociedade e não deve ser desvirtuada por nenhum grupo da política tradicional.

Ainda não estou bem convencido da necessidade desses jovens em esconder o rosto, sou de um tempo em que fazíamos manifestações de rua de cara limpa e íamos para o enfrentamento com as forças de repressão sem esconder o rosto. Mas os tempos são outros, conversando com jovens que participam desse movimento, fui esclarecido que isso se dá em função da proteção de alguns deles contra as represálias que sofrem por parte de setores que estão incomodados com esse movimento.

Busquei ir na maioria das manifestações e puder ver a vontade dessa juventude em dizer o que pensa, sem intermediários. Não concordo com os excessos, mas sou plenamente favorável ao direito à manifestação e digo mais, se está incomodando, é porque está no caminho certo.

Como diriam os mais antigos: A Luta Continua!!!

Mulher, lutadora, guerreira e...feminina!!!


No Dia Internacional da Mulher que comemoramos no dia de hoje, deixo aqui a minha solidariedade e respeito à todas as mulheres desse mundo que continuam a lutar pela oportunidade de.. serem mulheres!!! Não consigo aceitar um mundo onde as pessoas não sejam reconhecidas pelas competências e habilidades e sim por serem homens ou mulheres...

Mas vejo também algumas outras coisas que não consigo entender, por exemplo, sei que somos diferentes (Homens e Mulheres) e não consigo compreender porque algumas mulheres tendem a querer disputar espaço com homens, algumas vezes, querendo e se tornando mais masculinizadas que muitos homens. 

Ser mulher, ser lutadora e ser guerreira, não significa deixar de ser Feminina!!! Uma das mais fortes qualidades de uma mulher está na sua feminilidade, portanto, usar roupas femininas, elegantes e até "de grife", não tira a força de luta dessas mulheres, ao contrário, aumenta o seu poder de luta. Ser feminina não significa ser alienada, ser feminina significa ser Mulher!!!

As conquistas femininas devem ser diárias e a violência que essa nossa sociedade machista ainda impõe, deve ser combatida por todos, homens e mulheres, quero uma sociedade equânime e não uma sociedade em guerra, guerra de sexos. Isso é possível? Sim, é, basta que deixemos de preconceitos na infância, onde nossas meninas não sejam criadas para serem esposas e sim, para serem mulheres e onde os nossos meninos não sejam criados para serem brutamontes e sim, homens.

Mulheres, são teus todos os dias!!!

sábado, 8 de março de 2014

Racismo...até quando???


Mais uma vez somos assolados por notícias de Racismo na mídia brasileira, falo em particular do caso do arbitro do Rio Grande do Sul e do jogador Arouca do Santos Futebol Clube.

 Casos que chamaram a atenção e tiveram ampla repercussão por se tratar de ser algo ligado ao meio do futebol...coisa que vem acontecendo com uma certa frequência na Europa, mas que no Brasil, e mais antigo do que se imagina.

O Racismo, apesar de ser crime no Brasil, é uma prática tão antiga quanto cruel, está presente na nossa cultura familiar, no nosso imaginário na escola e, infelizmente, não percebo nenhuma atitude mais explícita por parte de nossas lideranças e da sociedade, no intuito de acabar com essa prática abominável de segregar um ser humano por causa de sua cor de pele, crença, sexualidade, etc.

As chamadas políticas de cotas, nada mais são do que reforço de uma condição de subserviência e que acabam servindo como um paliativo, um "remendo" social que somente serve para nivelar por baixo a educação no País. É necessário que mudemos a nossa maneira de ver o mundo, que as nossas crianças, nas escolas, aprendam a viver na diversidade, que o mundo é feito de pensamentos, atos, cores e visões diferentes e isso é que nos torna tão importantes quanto qualquer um.

Sonho com o dia em que todas as escolas desse País trabalhem esse conceitos e valores com os alunos, não como uma disciplina de conteúdo acadêmico, mas como um processo contínuo, que vá da Educação Básica até o Ensino Superior e que em cada família, não se contem mais piadas racistas ou homofóbicas. Que cada um aprenda a olhar pelo olhar do outro, onde gentileza não seja somente um slogan bonito ou o título de uma bela canção. E mais, onde cada cidadão possa exercer a sua cidadania sem ser julgado pela cor da sua pele, sua religião, sexualidade ou seja lá o que for.

Enquanto isso não acontece vou continuar gritando contra toda forma de Racismo, de intolerância e qualquer tipo de preconceito. Sou um eterno defensor da diversidade e da pluralidade, não concordo com nenhuma forma de sectarismo ou de verdades absolutas. É assim que eu sou e assim que eu penso!!!

Voltei...

Olha eu ai de volta??? Pela enésima vez, esse blogueiro resolve ressuscitar este blog...resolvi escrever de novo e ver no que vai dar...

Gramsci: da Arte à "Pedofilia" 5

Quero pedir escusas para os leitores pela demora em escrever a sequencia do ensaio que estou fazendo sobre a obra de Antonio Gramsci, mas a...