segunda-feira, 25 de junho de 2012

A minha coluna da semana na Gazeta24horas

Foi dada a largada, seu candidato está preparado?

Neste final de semana que passou, foi dada a largada para as disputas eleitorais de outubro deste ano, para os cargos de prefeitos e vereadores. Em várias cidades foram realizadas as convenções municipais dos partidos políticos que vão participar das eleições desse ano. Muitas coligações foram ratificadas, candidatos foram confirmados e outros foram lançados causando surpresa no cenário político local. Eu pensei em abordar alguns casos mais importantes, principalmente o caso dos candidatos que foram homologados aqui em Curitiba, mas fiquei imaginando uma coisa: Independente do candidato, do partido ou da coligação, será que esse candidato está preparado para exercer o mandato que está postulando? Sabe, de fato, quais serão as suas atribuições depois de eleitos? Pois bem, e você eleitor, sabe o que deve fazer o seu candidato depois de eleito?
Essas questões são importantes e muitas vezes relegadas a um segundo plano, onde tanto candidato quanto eleitor, não sabem o que fazer depois do processo eleitoral terminado. Ao eleitor, cabe se informar, ficar atento ao que diz e faz o candidato no qual votou e sempre ficar inteirado de tudo que acontece em sua comunidade, em sua cidade. Mas e os candidatos? Como eles se preparam? Alguns partidos políticos já fazem cursos de preparação política para os seus filiados que pretendem concorrer a algum cargo eletivo, isso é um grande avanço dado pelos partidos no caminho de uma maior qualidade em nossos políticos. Mas isso ainda não é o suficiente, é preciso que cada candidato comece a se preocupar com isso, em se preparar melhor, em ter uma responsabilidade maior com a sua equipe no que diz respeito ao melhor desempenho tanto na eleição, quanto na execução de seu mandato.
Eu já tive a oportunidade de participar de várias campanhas, em diversas esferas e em diversas funções, sei o quanto é necessário que um candidato esteja preparado para concorrer a um processo eleitoral. Formar uma equipe, contratar profissionais que possam preparar um candidato de maneira adequada para se portar em diversas situações. Engana-se quem pensa que esse preparo todo serve apenas para que o candidato se eleja, grande equivoco, serve também para: que ele esteja preparado para se portar em um eventual mandato, saber como se portar em reuniões, pronunciamentos, programas de televisão e outras técnicas importantes de comportamento que contribuem para o sucesso não só eleitoral, uma eficácia no exercício de um mandato.
Existem muitos profissionais no mercado que são especializados em fazer um trabalho com a imagem, com a postura e com toda a organização de uma equipe enxuta e eficiente para esse trabalho, e que contribui bastante para o bom desempenho eleitoral de um determinado candidato, seja ele majoritário ou proporcional. Saber como se portar em um ambiente público, saber montar um discurso coerente com os anseios daquele grupo ao qual o candidato pretende representar, a estruturar seu projeto de governo ou de atuação, a preocupação em montar uma equipe de trabalho condizente com as necessidades que terá ao exercer seu mandato, enfim, contribuir para uma melhor organização de campanha já vinculada com um possível mandato.
Mas, o leitor dessa coluna deve se perguntar: por que eu, que desde que comecei a escrever aqui neste jornal, sempre me preocupei em tratar de assuntos mais voltados aos problemas que acontecem na nossa sociedade, estaria interessado em sugerir esse tipo de profissional para os próximos candidatos? A resposta é muito simples: quero que existam cada vez mais candidatos preparados profissionalmente para atuar na política brasileira, quanto melhor estiver preparado o candidato, desde a formação de sua campanha até o término de seu mandato, melhor será o resultado de suas ações públicas, do exercício de suas funções como representante de uma sociedade ou de um segmento social. Ter políticos preparados, só nos deixa mais atentos e força a nos preparar para o livre exercício da democracia.
Quero que cada vez mais os candidatos se preocupem com a sua imagem, com a sua oratória, com a montagem de seu projeto de ação, com a organização de sua equipe e principalmente, com o bom trabalho para a sociedade. E com o advento das Redes Sociais, os candidatos estarão cada vez mais expostos e precisam se preparar ainda mais para os desafios que terá que encarar na campanha eleitoral e durante o período em que estiver trabalhando como representante político. Tenho certeza que existem excelentes profissionais de comunicação que contribuem para um melhor desempenho de um político, profissionais que além de experientes, são sérios e não medirão esforços para contribuir com qualidade, em um trabalho político.
Se você é candidato, fique atento, procure aperfeiçoar-se, busque a contribuição de pessoas que possam oferecer algum ganho ao seu trabalho, e não dê ouvidos as amadores que acreditam que sabem tudo, mas no fundo, não sabem absolutamente nada.

Gramsci: da Arte à "Pedofilia" 5

Quero pedir escusas para os leitores pela demora em escrever a sequencia do ensaio que estou fazendo sobre a obra de Antonio Gramsci, mas a...